Compartilhar

A UISA, antiga Usina Itamarati, localizada em Nova Olímpia (MT), informou que não espera uma quebra de safra na atual temporada de cana (2021/22), iniciada em abril. Em suas estimativas, a moagem de cana de sua unidade ficará entre 4,9 milhões e 5,1 milhões de toneladas, em linha com o volume processado na safra passada, de 5,012 milhões de toneladas.

A maior parte das usinas do Centro-Sul deve registrar redução da moagem nesta temporada por causa da seca que começou neste verão e que se somou aos efeitos da estiagem do ano passado. Na UISA, os canaviais que abastecem a usina já haviam sofrido com seca na safra passada, quando as perdas foram compensadas pela companhia com aumento de área.

Quanto ao rendimento da produção da temporada atual, a UISA também espera um resultado próximo da última safra. A expectativa da UISA é que a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) fique entre 132,5 quilos e 133 quilos por tonelada de cana processada, ante 132,7 quilos por tonelada no último ciclo.

A diferença principal deverá ser no mix de produção, mais alcooleiro nesta safra. Da cana a ser processada nesta safra, 61% deve ser direcionada para a produção de etanol, enquanto na safra passada esse percentual foi de 59%.

Como resultado, a produção do biocombustível deve crescer e ficar entre 250 milhões e 260 milhões de litros — ante 245 milhões de litros em 2020/21.

Já a produção de açúcar deve diminuir e ficar entre 4,505 milhões de sacas e 4,590 milhões de sacas — abaixo das 4,958 milhões de sacas fabricadas na temporada anterior.

Por fim, a geração de eletricidade a partir do bagaço da cana deve ter forte incremento e ficar entre 51 a 56 gigawatts-hora (GWh), enquanto na safra passada foi de 27 GWh.

Cadastre-se em nossa newsletter