Açúcar: diante de futuro incerto, fixação é oportunidade

Natália Cherubin

A incerteza em relação à intensidade e duração dos impactos econômicos relacionados à Covid-19 e seus desdobramentos para o mercado de combustíveis, fez com que muitas usinas brasileiras virassem a chave para produzir o máximo de açúcar possível, mesmo com a queda da cotação internacional da commodity. Especialistas do Itaú BBA, inclusive, alertam que as companhias aproveitem a situação do câmbio para se proteger.

Além da queda da demanda pelo etanol hidratado no mercado interno, a quebra da produção de importantes exportadores como Tailândia e Índia e os bons níveis de preços do açúcar quando convertidos em Reais, diante da depreciação cambial, são motivos que vem incentivando a maximização do açúcar no mix das usinas brasileiras.

No entanto, de acordo com análise do time do Itaú BBA, como o setor caminha para um aumento significativo da produção do adoçante no Brasil, isso pode fazer com que o volume adicional de açúcar no mercado global reduza o déficit esperado para a commodity, reduzindo também o espaço para a recuperação das cotações internacionais do produto.

Sendo assim, caso haja uma valorização cambial que não seja acompanhada por um acréscimo das cotações em NY, a perda de valor do açúcar em reais pode ser considerável.

“Diante das incertezas que estamos atravessando, é prudente que a usina fique atenta às oportunidades para se proteger de possíveis quedas das cotações para níveis que possam comprometer a rentabilidade da operação. É válido ressaltar, que apesar dessa queda em USD e da valorização do Real dos últimos dias, o mercado ainda oferece oportunidades de fixações futuras em patamares atrativos”, alertam os especialistas do banco em relatório divulgado quarta-feira, 27.

Os contratos para 2021 e 2022, por exemplo, podem ser negociados acima de BRL 1.400/t(VHP porto, estimativa em 27/5/2020). Para as usinas que tem flexibilidade de mix, o hedge de açúcar pode ser entendido como um instrumento de fixação do valor do ATR que também pode ser utilizado para o etanol. A fixação de um 1.400/t de açúcar, por exemplo, equivale a um preços etanol em Paulínia a R$ 2,00/L. Para mais detalhes de ferramentas de proteção de preços e possibilidades de fixação, conte conosco para ajuda-los.

Assim, caso haja uma valorização cambial que não seja acompanhada por um acréscimo das cotações em NY, a perda de valor do açúcar em reais pode ser considerável. Portanto, de acordo com a equipe do Itau BBA, diante das incertezas que estamos atravessando, é prudente que a usina fique atenta às oportunidades para se proteger de possíveis quedas das cotações para níveis que possam comprometer a rentabilidade da operação.

“É válido ressaltar, que apesar dessa queda em USD e da valorização do Real dos últimos dias, o mercado ainda oferece oportunidades de fixações futuras em patamares atrativos. Os contratos para 2021 e 2022, por exemplo, podem ser negociados acima de BRL 1.400/t (VHP porto, estimativa em 27/5/2020)”, destacam.

Para as usinas que tem flexibilidade de mix, o hedge de açúcar pode ser entendido como um instrumento de fixação do valor do ATR que também pode ser utilizado para o etanol. A fixação de um 1.400/t de açúcar, por exemplo, equivale a um preços etanol em Paulínia a R$ 2,00/L. Para mais detalhes de ferramentas de proteção de preços e possibilidades de fixação, conte conosco para ajuda-los.