Compartilhar

Nesta quarta-feira (3), agricultores familiares do antigo engenho Pitanga em Igarassu serão beneficiados pela política de assistência especializada da Associação Fornecedores de Cana de PE (AFCP), voltada a pequenos agricultores de assentamentos que têm na cultura canavieira sua fonte de renda principal.

Além da análise do solo, os agrônomos do Departamento Técnico da entidade darão orientação sobre variedades da planta, uso de insumos e boas práticas para incremento da produtividade e da renda das famílias.

Na próxima semana, será a vez daquelas do engenho Estrela do Norte (Joaquim Nabuco), que fornecem cana para antiga usina Estreliana, reaberta no ano passado por uma cooperativa de canavieiros (CooafSul).

Ricardo Moura, agrônomo da AFCP e há 13 anos dando assistência aos sócios da AFCP, diz que a qualificação técnica é vital para a garantia da continuidade dos negócios desses agricultores, sobretudo dos pequenos. Dos 7,1 mil associados da entidade, 91% deles são pequenos produtores.

Muitos são classificados no regime de agricultura familiar, não alcançando nem mil toneladas de cana por safra. “Dessa forma, conhecer o solo e as novas práticas de plantação e cultivo são cruciais para a sobrevivência dos negócios e da família envolvida. Nosso trabalho consiste na análise e manejo do solo, na indicação de novas e melhores variedades de cana e insumos para o aumento da produtividade e do faturamento”, esclarece.

A AFCP passou a intensificar o trabalho também nos agricultores assentados, indo inclusive em áreas remotas e de difícil acesso. Semanas atrás, por exemplo, visitaram as comunidades dos engenhos Tambor e Penderaca, na cidade de Palmares, a comunidade Sauezinho, em Tamandaré, e o assentamento Miguel Arraes em Palmares.

Cadastre-se em nossa newsletter