Compartilhar

Todo ano, com a chegada do inverno e do clima mais seco, há o aumento do risco de incêndios em florestas e matas nas mais diversas regiões do mundo. Prova disso é o aumento em 68% no número de queimadas no Brasil em 2020, em comparação com 2018, de acordo com dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Para este ano, uma das estratégias da Atvos, empresa sucroenergética, foi o investimento de quase meio milhão de reais em equipamentos e sistemas para o combate a incêndios, como caminhonetes, trator enleirador de palha, Líquido Gerador de Espuma (LGE) um produto não-tóxico e biodegradável utilizado para extinguir as chamas, reservatório para armazenamento do LGE, abafadores de fogo, contratação de aviões e, ainda, a criação de uma central de logística exclusiva que acompanha em tempo real todos os passos dos caminhões bombeiros.

Na Atvos, 100% da colheita é mecanizadaestando vetada a prática de queima e, como forma de precaução, são adotados vários procedimentos rigorosos de segurança para evitar que o fogo se inicie. Por exemplo, a medição a cada hora da temperatura das colhedoras com um termômetro digital a laser, e, caso esteja acima do normal, o veículo é desligado evitando assim maiores danos.

Parte da frota da brigada de incêndio da Atvos (Divulgação)

“Possuímos uma estrutura completa com profissionais treinados em nossas unidades. Isso contribui para prevenir e combater novos incêndios de forma rápida e segura, além de apoiar as comunidades locais, sempre que necessário”, afirma Rodrigo Vinchi, vice-presidente agrícola da Atvos.

Outro cuidado tomado é a presença de um caminhão-pipa nas unidades, com um auxiliar de prontidão para apagar imediatamente qualquer princípio de fogo. Além disso, para permitir que as equipes adotem ações rápidas, as condições climáticas no local do trabalho são checadas com a utilização de um aparelho digital específico para medir os três fatores climáticos: umidade do ar, temperatura e a velocidade do vento. Quando a umidade estiver muito baixa, a temperatura muito alta e ventando muito, as atividades são interrompidas.

Se mesmo com todos esses procedimentos, ainda houver incêndio, a Atvos conta com uma frota de quase 170 veículos e mais de 700 profissionais preparados para combater as ocorrências, entre eles brigadistas, bombeiros e socorristas. A companhia também participa do Plano de Auxílio Mútuo Emergencial (PAME), grupo formado por empresas, governo e comunidade para auxiliar de forma integrada no atendimento emergencial a incêndios e queimadas.

“Toda esta estrutura pode apoiar a comunidade nas ocorrências de incêndios nas regiões onde a companhia está presente. Além disso, também é fundamental que a população esteja consciente das atitudes que devem ser adotadas para evitar um incêndio e, principalmente, que as pessoas tenham à mão os contatos das autoridades preparadas para combater qualquer indício de fogo: Corpo de Bombeiros (193) e Defesa Civil (199)”, comenta Vinchi.

Para contribuir com a disseminação de orientações úteis às populações, a Atvos lança sua Campanha de Prevenção e Combate a incêndios em todos os seus polos. Composta por peças de mídia exterior e digital, a ação também conta com vídeos educativos que destacam as atitudes que cada um pode adotar em prol da preservação do meio ambiente e da segurança da comunidade:

  • Não colocar fogo em lixos e resíduos;
  • Não jogar bitucas de cigarro em qualquer lugar;
  • Não realizar queimadas;
  • Manter terrenos livres de materiais que alastram fogo.
Cadastre-se em nossa newsletter