Cana: Moagem acumulada ultrapassa resultado da safra 2018/2019

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu 10,84 milhões de toneladas na segunda metade de novembro,
com significativa retração de 25,96% quando comparado às 14,64 milhões de toneladas registradas na mesma quinzena do ano passado.

Para o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “esse recuo da moagem era esperado diante do início do período de chuvas e da antecipação do término da safra pela maior parte das usinas”.

Com a safra praticamente encerrada na região Centro-Sul, a quantidade moída alcançou 575,25 milhões de toneladas no acumulado desde o início do ciclo 2019/2020 até 1º de dezembro, superior às 573,17 milhões de toneladas processadas em toda safra 2018/2019.

“Até o final de dezembro, a moagem pode alcançar 580 milhões de toneladas, mas o resultado da atual temporada depende do volume a ser processado entre janeiro e março de 2020”, destacou Rodrigues. Na próxima terça-feira, 17 de dezembro, a UNICA fará uma coletiva de imprensa apresentando uma avaliação completa da safra 2019/2020.

Até 1º de dezembro, 196 unidades haviam encerrado suas atividades, contra 137 até a mesma data de 2018. A saber, essas 196 empresas responderam por 71% da moagem total do Centro-Sul na safra 2018/2019 e processaram, em média, 1,8% a mais em relação à temporada passada.

Para dezembro, a expectativa é de que 67 unidades finalizem suas operações: 42 na primeira quinzena e 15 usinas na última quinzena do mês.

Qualidade da matéria-prima

A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) atingiu 141,60 kg nos 15 dias finais de novembro, 17,10% acima do valor observado na mesma quinzena de 2018 (120,92 kg por tonelada).

No acumulado da safra, o indicador segue no mesmo patamar daquele apurado em 2018/2019. Até 1º de dezembro, alcançou 139,22 kg por tonelada versus 138,95 kg por tonelada em igual período de 2018.

Produção de açúcar e de etanol

A produção de açúcar totalizou 337,21 mil toneladas na segunda metade de novembro, ante 532,83 mil toneladas na mesma quinzena de 2018. No acumulado desde o início da safra até 1º de dezembro, a quantidade fabricada somou 26,41 milhões de toneladas. Quanto ao etanol, a produção quinzenal totalizou 770,15 milhões de litros (297,40 milhões de litros de etanol anidro e 472,75 milhões de litros de etanol hidratado), muito próximo dos 747,84 milhões de litros registrados no ano anterior.

No acumulado da safra 2019/2020, o volume produzido alcançou 31,72 bilhões de litros, sendo 9,68 bilhões de litros de etanol anidro e 22,04 bilhões de litros de etanol hidratado. Este resultado já representa a maior produção de etanol da história da região Centro-Sul. O recorde anterior ocorreu na safra passada, quando 30,95 bilhões de litros foram fabricados.

Contribuindo para esse crescimento, temos o extraordinário aumento da produção de etanol de milho, já incorporada nessas cifras. A produção somou 889,78 milhões de litros entre abril até novembro, contra 436,27 milhões de litros no mesmo período de 2018. Nos últimos 15 dias de novembro, foram fabricados 77,63 milhões de litros.

Refletindo esses números, desde o início da safra até 1º de dezembro, apenas 34,61% da cana-de-açúcar processada destinaram-se à fabricação de açúcar, contra 35,67% em 2018. Considerando apenas a última metade de novembro, esse percentual atingiu irrisórios 23,06%, o menor percentual já observado para essa quinzena.

Vendas de etanol

Em novembro, as vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul totalizaram 2,83 bilhões de litros, dos quais 143,81 milhões de litros destinados à exportação e 2,69 bilhões de litros ao mercado interno.

O volume comercializado de etanol anidro ao mercado doméstico alcançou 746,60 milhões de litros. Em relação ao etanol hidratado, a venda mensal segue superior àquela registrada no ano passado – um comportamento observado em todos os meses da safra 2019/2020. Em novembro, foram 1,94 bilhão de litros comercializados no mercado brasileiro, alta de 5,85% sobre 2018. Desse montante, 994,52 milhões de litros correspondem às vendas durante os últimos 15 dias do mês.