Compartilhar

A Canaplan apresentou ontem,26, durante evento de abertura de safra, a sua primeira previsão de moagem de cana para a temporada 2021/22 da região Centro-Sul. Contrariando algumas estimativas já feitas pelo mercado, de acordo com Luiz Carlos Carvalho, diretor da Canaplan, a quebra de safra será “sem precedentes”.

A queda estimada pela consultoria é de 60 milhões de t ante a safra anterior. A produção de cana poderá ficar entre 540 e 553 milhões de toneladas, volume de 11,7% a 13,1% menor do que o visto na safra 2020/21.

Segundo o consultor Nilceu Cardoso, a cana não cresceu e os colmos estão mais finos. A principal causa da quebra é a seca prolongada ocorrida no ano passado. Algumas regiões ficaram cerca de 230 dias sem chuva, situação que nos últimos dois meses, quando a maioria das regiões teve precipitações abaixo das medias históricas.

ATR e TCH

As estimativas apontam que a produtividade média no Centro-Sul não passará de 71,6 toneladas por hectare e que a concentração média de açúcar total recuperável (ATR) será de 139 kg por tonelada de cana.

Para a consultoria o valor da ATR foi considerado muito bom, mesmo sendo um pouco inferior a safra passada.

Etanol e Açúcar

Ainda de acordo com estimava da Canaplan, a produção de açúcar deve recuar para um montante entre 33,1 e 33,8 milhões de toneladas, quase 4 milhões de toneladas menor do que o registrado em 2020/21.

A produção de etanol deve se estabelecer em 24 bilhões de litros, cerca de 3 bilhões de litros menor em relação a 2020/21, no entanto, suficiente para o suprimento da frota de veículos do país.

Cadastre-se em nossa newsletter