Compartilhar

Pequenas barragens na Zona da Mata pernambucana, de baixo custo e construção rápida e simples, resolvem o problema da falta de segurança hídrica em períodos de estiagem

A fim de combater a seca que assola os canaviais de Pernambuco, nesta terça-feira (23), o staff do novo secretário estadual da Agricultura se reuniu com as duas entidades canavieiras do Estado (AFCP e Sindicape) para juntos buscarem a viabilização de medidas estruturais e políticas diante do impacto da seca nas lavouras que avança também sobre a Zona da Mata Norte.

Experiências de outros estados e estudos hídricos técnicos foram apresentados e mostram que a melhor saída é a construção de pequenos açudes artificiais nas cidades mais atingidas.

Apesar dos custos, em média de R$ 100 mil cada, os açudes teriam uma instalação simples em relação às grandes barragens e seriam mais adequados para a região, pois são capazes de capturar e armazenar a água da chuva durante o inverno, evitando o seu desperdício e sendo utilizada no campo em períodos de estiagem como agora.

Em reunião, entidades que representam produtores de cana do Pernambuco conversam sobre possibilidade de construção de pequenas barragens para frear os impactos da seca na região

“É preciso que algo dessa natureza comece a sair do papel a partir do próximo mês, porque estamos para iniciar a quadra chuvosa na Zona da Mata e o represamento da chuva que vier será crucial para reduzir o atual impacto da seca nos canaviais de Aliança, Nazaré, Buenos Aires, Vicência, Carpina, Lagoa do Carro e Lagoa de Itaenga”, defendem Alexandre Andrade Lima e Gerson Carneiro Leão, presidentes da AFCP e do Sindicape respectivamente.

Segundo os representantes dos produtores do Estado, em vários desses locais, a quebra da produção canavieira para a próxima safra já é de 50%, com a mortandade da planta que poderia durar até seis safras.

“O caso é muito sério e urgente. Por isso, é preciso instalar as pequenas barragens de salvação”, adicionam.

O Secretário-Executivo da Secretaria de Agricultura, Antônio Dourado, acompanhado do gerente de Engenharia, Flávio Fernandes, e do assistente do secretário, Saulo Malta, analisam inclusive a viabilização do pleito através da extensão do Projeto Estadual Águas de Todos, hoje destinado apenas para o Agreste e Sertão. Além disso, a pasta também se comprometeu de junto com as entidades canavieiras buscar verbas para a construção das pequenas barragens através de emendas de parlamentares federais de Pernambuco.

Cadastre-se em nossa newsletter