Compartilhar

Março foi um mês de seguidas deteriorações para alguns indicadores da economia brasileira que atingem direta ou indiretamente a produção agropecuária do País, de acordo com o que afirma Marcos Fava Neves, que é Professor Titular das Faculdades de Administração da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto e da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (EAESP/FGV).

“Na economia brasileira, o relatório Focus (Bacen) de 05 de abril traz expectativas para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 2021 em 4,86% e, para 2022 em 3,61%. O PIB (Produto Interno Bruto) deve fechar este ano com crescimento de 3,17% e 2,33% em 2022. Já para a taxa Selic, são esperados 5% e 6%, respectivamente, e no câmbio, R$ 5,35 no final de 2021 e R$ 5,25 no final de 2022”, comenta ele.

Além disso, o boletim Conab, elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento do mês de março estima safra recorde de grãos para o ciclo 2020/21 com produção de 272,3 milhões de toneladas, 6% superior em relação ao ciclo passado; enquanto a área plantada deve totalizar 68,3 milhões de hectares (+3,6%).

5 fatos do agro para acompanhar em abril são:  

1) A colheita da primeira safra está praticamente encerrada. A preocupação agora é com o clima na segunda safra de milho, já que o plantio atrasou. Estima-se que no Estado de Mato Grosso, 45% foram plantados fora da janela ideal.

Com o aperto na oferta mundial de grãos, os preços atuais, e principalmente a necessidade de milho para ração animal e produção de etanol, são pontos sensíveis agora na produção brasileira;

2) Demanda mundial: as importações na Ásia e outros países em carnes, grãos e demais produtos, além de um possível novo surto de peste suína africana na China a ser observado;

3) A gravíssima crise da Covid-19 no Brasil, o andamento do processo de vacinação, os mecanismos de apoio e a garantia de renda, e a performance consequente do mercado consumidor de alimentos e combustíveis;

4) As expectativas de plantios, áreas e produtividades da mega safra norte-americana. Qualquer problema climático será grave aos preços. Aparentemente excesso de chuvas pode trazer atraso nos plantios e as estimativas de áreas são menores que o esperado pelo mercado.

5) Para fechar, o Adido do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) estimou que o Brasil terá uma área plantada de soja na safra 2021/22 de 40 milhões de hectares, contra os atuais 38,5 milhões.

A produção deve ser de 141 milhões de toneladas (135 milhões nesta safra) das quais 87 milhões serão exportadas. Nas ultimas cinco safras, a área cresceu quase 5 milhões de hectares.

No caso do milho, a projeção é que a produção cresça para 114 milhões de toneladas em 20 milhões de hectares. Para o algodão, a área voltará a ser de 1,6 milhão de hectares.

É realmente um período de forte expansão que teremos pela frente, criando muitas oportunidades às pessoas.

Cadastre-se em nossa newsletter