Setor ganha variedade de cana com elevada produtividade, alto teor de fibra e de sacarose

Entre as novidades apresentadas no 2º INOVACANA – Seminário sobre Inovações Tecnológicas na Cana-de-açúcar, realizado pelo Grupo IDEA, em Ribeirão Preto, SP, em 4 e 5 de setembro de 2018, está a Vertix 3, variedade de cana desenvolvida pela Granbio que, segundo José Antônio Bressiani, diretor de tecnologia agrícola da empresa, apresenta elevada produtividade em toneladas de cana por hectare e proporciona maior longevidade ao canavial, além de índices expressivos de sacarose e de fibra.

Essa variedade da Granbio possui teor de fibra próximo de 20% e ART de 110 quilos por tonelada de cana. Com essas características, a Vertix 3 pode ser processada juntamente com a cana-de-açúcar tradicional para a produção de etanol de primeira geração. E, posteriormente, pode ser ainda utilizada, enfatiza José Bressiani, para geração de energia ou etanol 2G, pois disponibiliza grande quantidade de bagaço.

Outro diferencial dessa variedade é a produtividade em toneladas por hectare. Experimentos com a Vertix 3 mostraram um rendimento médio de 128 TCH em três cortes, enquanto a cana convencional alcançou 85 TCH. O surpreendente é que essa cana-energia está registrando uma produtividade crescente: 124 TCH no primeiro corte; 127 TCH no segundo e 131 no terceiro. A outra variedade, utilizada nesse experimento, teve um rendimento decrescente, como sempre ocorre com a cana tradicional, produzindo 116 TCH no primeiro corte, 74 TCH no segundo e 64 TCH no terceiro.

Em três cortes, produziu uma quantidade média de açúcar de 12% superior à outra variedade devido ao seu alto rendimento agrícola em toneladas por hectare. Esse índice deverá se tornar ainda maior em decorrência da produtividade crescente. Estes rendimentos podem alcançar entre 20% a 25% se cultivadas em solos de melhor fertilidade, calcula José Bressiani.

Os ganhos não param aí. A maior longevidade do canavial com a Vertix 3, que poderá atingir entre 8 e 10 cortes, também é destacada pelo diretor de tecnologia, segundo ele, essa duplicação do ciclo derrubará significativamente o custo de produção de matéria-prima.

Devido à sua rusticidade e ao sistema radicular mais robusto, essa variedade de cana resiste mais ao pisoteio e ao arranquio provocados pela mecanização da colheita, em comparação às canas convencionais. A Vertix 3 também aumentará o faturamento das unidades produtoras de cana por meio do CBios (créditos de descarbonização) – criados pelo RenovaBio, porque captura maior quantidade de dióxido de carbono (CO2), conforme demonstraram os experimentos da Granbio.

Com tantos benefícios, essa “supercana” deverá se tornar uma fantástica opção aos produtores de cana de todo país – e da indústria – em pouco tempo. A Vertix3 está em fase final de validação comercial e já está sendo multiplicada em algumas usinas do Centro-Sul desde 2017 e logo será oferecida em forma de MPB àqueles que se associarem ao programa da Granbio. Em Alagoas já está sendo cultivada por produtores e usinas há alguns anos.

As características, as vantagens e os diferenciais da Vertix 3 serão detalhados no 2º INOVACANA, José Bressiani realizará a palestra “Apresentação da primeira variedade Vertix de alta tonelagem com ATR superior”. (Vale)