Compartilhar

O etanol como uma das pontes para a nova era da mobilidade sustentável está sendo apresentado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) aos visitantes do pavilhão brasileiro na Expo Dubai 2020, que começou na última sexta-feira,1.

A participação da UNICA faz parte do projeto setorial com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Segundo o presidente da UNICA, Evandro Gussi, o setor de transporte é responsável por quase um quarto das emissões de gases poluentes e que agravam o efeito estufa.

“Quando olhamos com realismo para o quão desafiadoras são as metas de redução das emissões para as próximas décadas, não dá para se dar ao luxo de dizer qual deve ser rota a se seguir. Nesse cenário, o etanol mostra como vamos complementar as diversas rotas, levando em consideração as realidades de cada região. Com produção cada vez mais sustentável, reduzindo as emissões e gerando Créditos de Descarbonização, o etanol se coloca como protagonista na construção da nova era da mobilidade sustentável”, destaca Gussi.

Os visitantes do pavilhão vão conhecer a experiência brasileira no uso do etanol, que começa com uma produção altamente sustentável e chega à geração dos CBios, títulos verdes para neutralização das emissões.

Pavilhão neutralizado

Em linha com a temática da Expo Dubai – clima e biodiversidade, a UNICA irá neutralizar as emissões de CO2 do pavilhão brasileiro nessa primeira semana. Volume que deverá ser superior a 1,3 mil toneladas de CO2. Um descarbonômetro mostrará aos visitantes, em tempo real, a quantidade de emissões compensadas.

A neutralização das emissões será com os Créditos de Descarbonização (CBios). Cada crédito representa uma tonelada de CO2 equivalente que deixou de ser emitida. O CBio pode ser considerado o principal ativo brasileiro para a redução das emissões de gases que intensificam o efeito estufa.

Mobilidade sustentável

Puro ou misturado na gasolina, o etanol é o combustível do presente, mas também do futuro da mobilidade sustentável. Com o desenvolvimento de novas tecnologias automotivas, o biocombustível pode ser usado em carros híbridos flex e, futuramente, gerar eletricidade para carros elétricos movidos à célula combustível.

Desde 2003, lançamento dos carros flex, o etanol já evitou a emissão de mais de 570 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. Para atingir esse número de maneira alternativa, seria necessário cultivar 4 bilhões de árvores ao longo de 20 anos.

Hoje, mais de 70 países no mundo já contam com regras que estabelecem a mistura do etanol à gasolina. E, de olho nos efeitos positivos do biocombustível, países como Índia e Reino Unido estão ampliando os níveis de blend visando a redução das emissões e melhoria da qualidade do ar.

A UNICA disponibilizará aos visitantes do pavilhão a oportunidade de calcular as emissões pessoais. Com base no país de origem e na média de litros de combustível consumidos, ele verificará como a presença do etanol na gasolina reduz significativamente as emissões de CO2.

Cadastre-se em nossa newsletter