Compartilhar

A Usina Coruripe, depois dos resultados recordes obtidos na safra 2020/21, redução nos níveis de alavancagem, progresso da gestão financeira e governança, recebeu nova avaliação da agência de classificação de riscos Moody’s.

A empresa obteve rating corporativo “B.br” na escala nacional brasileira, o que representa evolução positiva de uma posição em relação ao anterior.

A Moody’s aumentou em até quatro níveis a avaliação das duas séries da quarta emissão de papéis a mercado (CRA) com garantia real, que passaram também a ter rating “B.br”.

A avaliação positiva do rating dos papéis negociados pela companhia teve como fator preponderante o aumento da tangibilidade dos recebíveis a partir de uma ação de indenização que lastreia a referida emissão de dívida.

A perspectiva para a companhia é “estável”. Segundo o diretor financeiro da Coruripe, Thierry Soret,a melhoria na avaliação é decorrente da performance positiva na safra de cana-de-açúcar 2020/21, finalizada em março, e das melhorias em relação a custos e dívidas.

“Foram os melhores resultados na história de 96 anos da empresa, que consideramos agora uma Nova Coruripe”, afirma Soret. As demonstrações financeiras, auditadas pela PwC Brasil, registraram faturamento de R$ 3,16 bilhões (28,9% em maior que na safra anterior) e lucro líquido de R$ 338,3 milhões (aumento de 331,9%).

A Moody’s informou, entre os fundamentos do rating, que o desempenho operacional da Coruripe tem evoluído desde 2019/2020 e a agência “acredita em um resultado sustentado nas próximas safras”.

“O rating corporativo atribuído à S.A. Usina Coruripe Açúcar e Álcool incorpora sua escala como um dos 10 maiores grupos sucroalcooleiros no Brasil, com capacidade de moagem de 15 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e alta capacidade de utilização. Também reflete a organização em clusters, com amplo acesso a cana-de-açúcar e infraestrutura logística, e sua diversificação geográfica, que proporciona alguma proteção contra eventos climáticos e concentração de riscos de eventos, ao mesmo tempo que permite uma produção mais estável ao longo do ano, devido aos diferentes períodos de colheita. A histórica alta utilização de sua capacidade e baixo custo de arrendamento de terras estão entre os fatores que contribuem com o custo competitivo da empresa”, afirmou em relatório.

Ainda de acordo com a Moody´s, a Coruripe possui uma estrutura de custo mais flexível que ajuda a reduzir a volatilidade dos custos uma vez que o preço pago aos fornecedores de cana-de-açúcar está vinculado aos preços de venda da empresa em vez de um índice geral de preços.

O relatório da Moody’s citou ainda que com uma redução de dívida bruta e sustentado Ebitda suportado pelos maiores volumes de produção e maiores preços do açúcar em reais, a alavancagem bruta da empresa, assim como sua cobertura de juros, melhoraram em relação à safra anterior.

“Desde 2018, a empresa aumentou os investimentos para melhorar a qualidade da cana-de-açúcar e a eficiência industrial, ações que têm ajudado a sustentar os resultados operacionais observados. Juntamente aos esforços da empresa em reduzir a dívida bruta, observou-se também uma melhora nas métricas de alavancagem e cobertura no último período”, afirmou a agência.

Veja o relatório completo AQUI

Cadastre-se em nossa newsletter