Coronavírus causa impacto em usinas de etanol de milho no Brasil

De acordo com um levantamento da Scot Consultoria, na primeira quinzena de abril, o DDG foi comercializado entre R$765,63 e R$910,00 por tonelada (sem o frete), considerando os preços convertidos para uma média de 35% de PB (Proteína Bruta). Sendo que as concentrações encontradas variaram entre 32% e 40% de PB.

Para o WDG, os negócios ocorreram entre R$150,00 e R$280,00 por tonelada, considerando os valores convertidos para 33% de PB. Na média, o DDG e o WDG ficaram cotados, respectivamente, em R$808,99 e R$200,00 por tonelada, sem considerar o frete (tabela 1). Valorização de 5,3% e 13,4%, respectivamente, frente a segunda quinzena de março.

Efeitos da crise 

Assim como nos Estados Unidos, o mercado de etanol no Brasil sentiu os efeitos da crise causada pelas medidas de contenção do coronavírus.

Com a queda do consumo de combustíveis em função da restrição da circulação de pessoas, as usinas de etanol de milho devem tirar o pé do acelerador.

Em decorrência desse ajuste na produção, a oferta de DDG e WDG deverá sofrer um ajuste, focando nos volumes estabelecidos em contratos de venda para entrega ao longo de 2020.

As alta do milho e do farelo de soja deram sustentação aos preços do DDG e WDG até então.

Porém, as recentes quedas nas cotações dessas commodities, a expectativa é de que o viés de alta no mercado de DDG e WDG sofra uma reversão.

A menor demanda de milho para a produção do etanol esse ano, com parte desse cereal sendo destinado para o setor de nutrição, é um dos fatores de pressão de baixa sobre os preços do cereal em curto e médio prazos, especialmente em Mato Grosso.

Usinas no EUA podem parar e isso causa impacto no Brasil 

O milho tem sido uma das commodities mais afetadas pela crise gerada em função do coronavírus no Brasil e no mundo.

Nos Estados Unidos cerca de 25% das usinas de etanol de milho estão com algum tipo de paralização, e até maio,.a expectativa é de que possa chegar a 35% das indústrias impactadas devido a menor demanda do biocombustível, que absorve 40% da produção de milho norte-americana.

O recuo do consumo nos Estados Unidos e a consequente queda de preço por lá preocupam os agentes de mercado no Brasil,.pois pode aumentar a competitividade do milho norte-americano para exportação.

Outro ponto que demanda cuidado é em relação a queda de preços do barril de petróleo e o conflito entre a Rússia e Arábia Saudita,.fatores que contribuíram para a queda da competitividade do etanol frente a gasolina.

O monitoramento do mercado que já era contínuo, precisa ser acompanhado cada vez mais de perto. .Mas. Desse modo. Mas.