Compartilhar

A usina de etanol de milho, a Inpasa Agroindustrial, deverá pagar R$4.088.000,00 para poder se instalar em Dourados, MS. Quem impôs a compensação ambiental foi o Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

De acordo com o jornal Dourado News, esse valor leva em consideração o grau de impacto do empreendimento, que é de 0,511%, e corresponde a 103.128,15 Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul), cuja cotação de maio de 2021 é de R$ 39,64.

Publicado na edição desta segunda-feira,17, do Diário Oficial do Estado, o extrato do termo de compromisso de compensação ambiental nº 013/2021, Processo nº 71/011114/2021, detalha que o valor de referência do investimento da empresa é de R$ 800.000.000,00.

As atividades incluem Usina de Etanol de Amido – capacidade de produção acima de 150.000 até 800.000 m³ de etanol/ano; Termoelétrica acima de 10 MW “Combustível: Derivados de Madeira/Biomassa/Gás Natural ou Metano”; e Subestação de Energia Elétrica de 34,5 até 230 KV.

Esse termo de compromisso, com vigência de 24 meses, foi assinado no dia 6 de maio pelo diretor-presidente do Imasul, André Borges Barros de Araújo, e por Fernando Zioli Alfini, gerente administrativo da Inpasa.

De acordo com a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), a Inpasa prevê gerar 200 empregos diretos e outros 150 indiretos na fase inicial e entrar em operação no final de 2022.

A usina deve ser edificada próximo à Coamo, na BR-163, com capacidade de processamento de 3.600 toneladas por dia de milho, para produção de etanol anidro e hidratado, além dos subprodutos farelo (DDGSS) e óleo de milho.

Cadastre-se em nossa newsletter