Compartilhar

Os preços do açúcar no mercado de Nova York iniciaram a semana em alta devido, principalmente, a sinais de uma oferta apertada para esta safra e ao otimismo nos mercados financeiros mundiais. A análise foi feita pela agência de notícias Reuters com informações de operadores de mercado.

Os contratos futuros do açúcar bruto com vencimento em março/21 da ICE fecharam em alta de 6 pontos e negócios firmados em 13.61 centavos de dólar por libra-peso. Já a tela para maio/21 foi comercializada em 13.33 cts/lb, valorização, também, de 6 pontos. Os demais contratos subiram entre 7 e 32 pontos.

Em nota a Marex Spectron destacou nesta segunda-feira já ser possível enxergar o final da safra brasileira e que, “definitivamente, não vai haver um excedente no Brasil. A implicação disso é que 2021 será uma repetição de 2020, mas com um pouco menos de oferta e provavelmente um pouco mais de demanda”.

“O clima desfavorável à produção na Rússia e Tailândia continua sendo fator de suporte, bem como o atraso do governo da Índia para definir sua política de subsídios às exportações”, disseram operadores ouvidos pela Reuters.

Londres

Em Londres o açúcar branco iniciou a semana com baixa apenas no lote dezembro/20, que foi firmado em US$ 373,20 a tonelada, recuo de 50 cents de dólar. Nas demais telas o adoçante fechou valorizado entre 50 cents e 2 dólares a tonelada. No vencimento março/21 a commodity foi negociada em US$ 374,70 a tonelada.

No Brasil

Pelo indicador Cepea/Esalq, da USP, o açúcar cristal iniciou a semana desvalorizado no comparativo com a sexta-feira, com negócios firmados em R$ 89,20 a saca de 50 quilos, contra R$ 89,52 a saca na sexta, recuo de 0,36% no comparativo entre as datas.

Cadastre-se em nossa newsletter