Rabobank eleva projeção de déficit global de açúcar

O déficit global de açúcar na temporada 2019/20 (outubro-setembro) deve totalizar 8,2 milhões de toneladas, disse o Rabobank em relatório trimestral sobre o setor. A nova estimativa é 3 milhões de toneladas maior do que a projeção anterior, e, se confirmada, vai representar o maior déficit desde o ciclo 2015/16.

Segundo o banco, isso reflete cortes nas estimativas de produção para Índia, Tailândia e União Europeia.

O mercado deve ficar atento nos próximos meses à colheita de cana na Ásia, principalmente na Índia e na Tailândia, diz o Rabobank, acrescentando que o resultado da produção nesses países pode afetar consideravelmente o cenário global.

O banco destaca também que o mix açúcar/etanol no Centro-Sul do Brasil na safra brasileira 2020/21 (abril-março) é uma peça importante do quebra-cabeça global.

Se o mercado mundial precisar de mais açúcar do Brasil em 2020 e os preços globais de petróleo se mantiverem firmes, o Rabobank acredita que os preços do demerara na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) terão de chegar a 14 cents por libra-peso para levar a um mix mais açucareiro.

Os preços em Nova York superaram os 13 cents/lb no começo de dezembro, com a expectativa de queda da produção global em 2019/20 e de estoques mais apertados. Isso tem levado fundos a cobrir posições vendidas.

No entanto, os estoques mundiais ainda amplos no curto prazo e a fraca demanda externa continuam pesando sobre as cotações, diz o Rabobank.