Compartilhar

A São Martinho foi interpelada ontem pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para explicar a disparada dos preços de suas ações no pregão, mas disse desconhecer “qualquer fato” que tenha motivado a oscilação. Os papéis da empresa fecharam a quarta-feira em alta de 6,79%, para R$ 38,23.

Em comunicado enviado ao órgão regulador e assinado por Felipe Vicchiato, diretor financeiro e de relações com investidores, a companhia afirmou que, “ao longo de pregões recentes, observou-se tendência semelhante na cotação das ações de empresas relacionadas ao mesmo segmento”.

No mesmo dia, o BTG Pactual divulgou um relatório afirmando que a perspectiva de longo prazo para os preços do açúcar poderia ser de mais sustentação do que eles estavam prevendo, dada a mudança na política da Índia para o etanol.

Na semana passada, a Índia antecipou em dois anos a meta de misturar 20% de etanol à gasolina, o que deve enxugar a oferta de açúcar do mercado para que mais cana seja direcionada à produção do biocombustível. Atualmente, a Índia tem excedente de oferta de açúcar e subsidia suas exportações para não pressionar o mercado interno.

Cadastre-se em nossa newsletter