Usina Da Mata mostra tecnologia avançada de irrigação por gotejamento

A expectativa é que até 2023, o sistema de irrigação via gotejamento esteja em 2230 ha da usina

Na semana passada, entre os dias 26 e 27 de novembro, a Braskem em parceria com a NaanDaanJain, desenvolvedora de tecnologias para irrigação por gotejamento, levou 65 convidados de usinas de várias regiões canavieiras para conhecer o sistema de irrigação por gotejamento mais moderno do Brasil, instalado em 550 hectares, na Usina da Mata, localizada em Valparaíso, região de Araçatuba, SP.

Durante o evento as usinas participaram de uma palestra sobre cana irrigada de altíssima produtividade apresentada pelo engenheiro agrônomo da Jain, Dr. Soman, que mostrou a experiência da Índia na verticalização da sua produção de cana-de-açúcar, que com 85% da sua cana irrigada, conseguiu atingir produtividades acima de 200 t/ha.

A expectativa da companhia é que os canaviais dobrem a sua longenvidade

Além do uso da água nos sistemas de irrigação por gotejamento, Dr. Soman deu detalhes de como é realizada a adubação, ou seja, a aplicação de nutrientes via gotejamento, destacando os cuidados necessários para se atingir altas produtividades.

Leandro Lance, gerente de Desenvolvimento de Mercado e Inovação na NaanDanJain Brasil, mostrou as oportunidades da irrigação em cana-de-açúcar no Brasil e quais ganhos os produtores podem obter a partir do sistema de gotejo. Ele ainda destacou a importância do planejamento adequado para a implementação da irrigação.

“Com a irrigação é possível reduzir custos com arrendamento, CTT, plantio, reduzir riscos de produção, aumentar a viabilidade do plantio de cana em ambientes de solo D e E, fazer a quimigação. Além disso, a irrigação permite aumentar a longevidade dos canaviais e potencializar o uso das mudas pré-brotadas. No entanto, é preciso destacar que ter planejamento é fundamental para o sucesso do projeto, assim como as ter as variedades mais adequadas para a irrigação. Além disso, é preciso escolher uma área que tenha aptidão para a implementação do projeto”, disse Lance.

O sistema de gotejamento da Usina Da Mata é o mais moderno implementado no Brasil

Cana de três dígitos

Os visitantes puderam conhecer a área irrigada da Usina Da Mata, localizada em Valparaíso, SP, que tem o projeto mais moderno de irrigação de cana-de-açúcar por gotejamento do Brasil. Dos 58 mil hectares de produção, 550 ha dos canaviais estão sendo irrigados e fertirrigados via gotejo.

O projeto vai expandir, até o final deste ano, mais 135 ha de gotejamento para a próxima safra 2020/21. De acordo com José Leandro Mesquita, gerente Agrícola da Usina Da Mata, o projeto contempla mais três etapas que ocorrerão em 2021, 2022 e 2023, quando a usina chegará as 2.230 ha com o sistema. “O gotejamento é o melhor sistema que se tem tanto para aplicação de água quanto para os fertilizantes, que são alocados diretamente na raiz. Como nosso sistema é totalmente automatizado, conseguimos saber a melhor hora de adubar e irrigar.”

A unidade conta com uma estação meteorológica que fornece todos os dados de insolação e umidade. Com o uso de fotografias de satélite e NDVI, a Usina Da Mata acompanha todo o desenvolvimento da cultura, o que dá maior suporte para o manejo do uso do sistema de gotejo.

O canavial irrigado da usina está no seu primeiro corte em 2019/20. A produtividade chegou a 170 t/ha, número que deverá se manter no próximo ano, entre 170 a 180 t/ha.

“Neste primeiro ano tivemos várias adaptações e adequações. Mas a partir de agora estamos trabalhando para obter a excelência máxima que o canavial possa oferecer. A busca é ultrapassar as 180 t/ha. A cana tem esse potencial e acredito que fazendo a adequação dos tratos culturais junto a outra série de fatores, vamos obter altas produtividades. A expectativa é que a longevidade dos canaviais dobre”, destaca.

Situada em uma região de ambientes C, D, E, a unidade tem a fertirrigação e a irrigação como ferramentas essenciais para o manejo da sua cana. “Temos condições de, entre irrigar, fertirrigar e gotejamento, ter quase 40 mil hectares. Já fazemos uso de outros sistemas como o rolão e também estudamos a implementação de pivôs também”, acrescenta Mesquita.

Braskem busca expansão do uso do plástico no agro

A Braskem vem investindo na expansão de uso do plástico dentro da agricultura. No Brasil ainda se usa muito pouco plástico em algumas operações em que se poderia ter aumento de produtividade, redução do uso de agroquímicos, otimização da utilização de recursos hídricos e redução da mão de obra.

De acordo com Ana Paiva, coordenadora de Desenvolvimento de Mercado da Braskem, os benefícios que o plástico leva ao campo estão em linha com o que o agronegócio brasileiro está procurando.

“A Braskem enxerga que existe potencial de crescimento e está investindo no desenvolvimento de novas aplicações do plástico no agro. Temos diversas aplicações que já são bastante consolidadas fora do Brasil e que poderiam estar servindo como ótimas ferramentas para diversas culturas como café, soja e até na pecuária. Dentro do setor canavieiro, por exemplo, temos o uso desse polietileno que pode ou não ser verde, para a confecção dos tubos dos sistemas de gotejamento”, afirma.

Grande parte das aplicações para o agro, de acordo com Ana, podem ser produzidos com o uso de polietilenos verdes, que vem da cana-de-açúcar e que fazem parte da linha I´m Green da Braskem.

LEIA TAMBÉM

Usina Da Mata tem projeto de irrigação de cana mais moderno do mundo

Irrigação: não é mais um bem de luxo

Plantio de cana vai ter crédito para irrigação