Compartilhar

As usinas sucroalcooleiras já fixaram o preço de 20,9% do açúcar que pretendem exportar na próxima safra (2022/23), que começa em abril do ano que vem, de acordo com levantamento feito pela Archer Consulting até 31 de maio. O percentual equivale a 5,3 milhões de toneladas, negociadas a um preço médio de R$ 1.800 a tonelada (posta no porto de Santos).

Só em maio, foram feitas operações de fixação de preço para pouco mais de 1,2 milhão de toneladas a um preço médio de R$ 1.920 por tonelada. O valor ficou abaixo da média obtida no mês anterior, de R$ 1.962 por tonelada.

Segundo Arnaldo Correa, sócio diretor da Archer Consulting, as usinas aproveitaram “as novas máximas alcançadas pelo mercado (em centavos de dólar por libra-peso) apesar de um real mais fortalecido em relação à moeda americana”.

Em dólares, o valor médio de fixação do açúcar para a próxima temporada está em 14,25 centavos de dólar por libra-peso. O valor não considera o prêmio de polarização.

Cadastre-se em nossa newsletter