Compartilhar

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a aquisição, pela Cosan, de participação adicional nas gestoras de propriedades agrícolas Radar e Radar II, detida pela Mansilla, holding pertencente a um grupo de empresas controladas pelo Teachers Insurance and Annuity Association of America (TIAA). A decisão do Cade consta de despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU).

O negócio contempla ainda a aquisição, pela Cosan, de ações em sete Sociedades de Propósito Específico da Mansilla: Nova Agrícola, Nova Amaralina, Santa Bárbara, Ponte Alta, Castanheira, Manacá e Paineira.

Em comunicado ao mercado feito em setembro, a Cosan informou que o contrato prevê a compra de cerca de 47% de participação da empresa Radar por R$ 1,479 bilhão.

Com o fechamento do negócio, a Cosan passará a deter mais de 50% do total do capital social da Radar, que, segundo o fato relevante, possui ativos com alto potencial produtivo no Brasil.

“Por meio de um sistema de geomonitoramento via satélite, detém e administra cerca de 390 propriedades rurais com um total de 96 mil hectares, dedicados ao cultivo de cana-de-açúcar, soja, algodão, milho e outros nos Estados de São Paulo, Maranhão, e Mato Grosso”, disse a Cosan sobre a Radar.

De acordo com a empresa, o movimento está alinhado à estratégia de alocação de capital da Cosan, reforçando o compromisso da companhia com o desenvolvimento do agronegócio brasileiro e com a criação de valor para seus stakeholders.

Cadastre-se em nossa newsletter