Compartilhar

O mercado global de açúcar deve passar de um déficit de 1,51 milhão de toneladas na temporada 2020/21 (outubro a setembro) para um superávit de 2,74 milhões de toneladas em 2021/22, estimou a consultoria de açúcar e etanol Datagro nesta quarta-feira.

O analista-chefe da Datagro, Plinio Nastari, disse que uma recuperação da produção na Tailândia, outra boa safra na Índia e melhorias na produtividade agrícola na Europa, apesar das geadas na França, são os principais fatores por trás da mudança de um déficit para um superávit na nova temporada.

A previsão de superávit global foi feita apesar de uma queda na moagem de cana do Centro-Sul do Brasil, diante da seca. Segundo a Datagro, a principal região produtora do Brasil deverá processar 572 milhões de toneladas em 2021/22 (abril a março), ante 605 milhões de toneladas na temporada anterior.

A produção de açúcar do Centro-Sul foi estimada em 36,3 milhões de toneladas em 2021/22, ante 38,5 milhões em 2020/21, projetou a Datagro. A consultoria disse que espera um mercado volátil apesar do cenário do balanço global, devido a desdobramentos da safra brasileira, que teve um lento início no centro-sul.

“Temos que esperar as próximas semanas para ter mais clareza de como será a moagem da cana no centro-sul”, disse Bruno Wanderley, outro analista da Datagro que participou da apresentação.

Outros países

Nastari ainda disse durante uma apresentação que espera que a Índia produza cerca de 30 milhões de toneladas em 2021/22 após a excelente safra da temporada anterior, que foi vista em 31,2 milhões de toneladas. A safra de cana da Tailândia deve aumentar para 85 milhões de toneladas, de 66 milhões, o que deve aumentar as exportações de açúcar do país de 3,9 milhões para 5,8 milhões de toneladas.

A Datagro espera que a produção de açúcar da Rússia cresça 18,5%, para 6,1 milhões de toneladas em 2021/22.

Cadastre-se em nossa newsletter