Compartilhar

A valorização do real favoreceu o preço do açúcar nas bolsas internacionais nesta quinta-feira (11). Outros fatores que podem ter favorecido a commodity foram os ganhos no petróleo e nos mercados acionários globais, “diante de uma melhora nas perspectivas para a economia global”, destacou a Reuters.

Na ICE, de Nova York, o açúcar bruto subiu em todos os lotes. No vencimento maio/21 a commodity fechou cotada em 16,36 centavos de dólar por libra-peso, alta de 40 pontos no comparativo com a véspera. Já a tela para julho/21 valorizou 36 pontos, negociada em 15,89 cts/lb. Os demais contratos subiram entre 27 e 33 pontos.

Segundo a Reuters, a Czarnikow afirmou que a Índia provavelmente não cumprirá sua meta de exportar 6 milhões de toneladas na temporada 2020/21, especialmente por causa de uma escassez de contêineres.

Em Londres o açúcar branco também fechou valorizado em todos os vencimentos. A tela maio/21 foi comercializada em US$ 463,10 a tonelada, alta de 10,50 dólares no comparativo com a véspera. A tela para agosto/21 subiu 9,30 dólares, negociada em 450,20 dólares a tonelada. Os demais contratos subiram entre 6,40 e 8,20 dólares.

Mercado doméstico

No mercado interno o açúcar cristal voltou a subir pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada em R$ 107,93, contra R$ 106,33 do dia anterior, valorização de 1,50% no comparativo entre as datas.

Cadastre-se em nossa newsletter