Índia vai aumentar mistura e preço do etanol

Além do aumento do preço do etanol, a mistura na gasolina também deve subir para 7% no próximo ano

0
89
Mistura mais alta e preço mais alto devem incentivar redução na produção de açúcar
Reajuste passa a valer nesta quinta-feira (19) e vem após disparada nos preços internacionais do petróleo por conta de ataques na Arábia Saudita.

O governo da Índia aumentou os preços de diferentes graus de etanol no âmbito do Programa Etanol Blended Petrol (EBP) para a próxima temporada de açúcar 2019/20.

A decisão de elevar o preço do etanol extraído da cana-de-açúcar usado para misturar gasolina em até 1,84 Rs por litro, é uma tentativa de reduzir a conta de importação de petróleo devido ao seu maior uso em combustíveis para automóveis, que hoje custa US$ 1 bilhão ao ano para a Índia.

De acordo com o ministro do Petróleo indiano, Dharmendra Pradhan, as empresas estatais de petróleo comprarão etanol de usinas de açúcar para misturar gasolina a taxas mais altas a partir de 1º de dezembro, disse o ministro do Petróleo, Dharmendra Pradhan.

A decisão foi tomada pelo Comitê de Assuntos Econômicos do Gabinete, presidido pelo primeiro Ministro Narendra Modi.

O preço do etanol do ‘melaço pesado C’ foi aumentado em 29 rúpias por litro, para 43,75 Rs, enquanto o mesmo do melaço pesado B, também chamado de melaço intermediário, de 1,84 rúpias para 54,27 Rs por litro.

Preço alto deve reduzir produção de açúcar

O etanol, que pode ser produzido no país de três maneiras diferentes –  diretamente do suco de cana, do melaço B e C –  com o preço mais alto, deverá incentivar as usinas a desviar-se da produção de açúcar.

A expectativa, segundo o ministro do Petróleo indiano, é que o preço mais alto aumente a compra de etanol para 22,6 bilhões de l entre dezembro de 2019 e novembro de 2020, ate aos 20 bilhões de l consumidos no ano anterior.

Leia também: 

Etanol: Brasil eleva percentual da cota de importação sem tarifa

Etanol: Brasil quer fatia de mercado chinês

Mistura na gasolina aumentará

A porcentagem de etanol misturada na gasolina, que hoje é de 6%, aumentará para 7% no próximo ano e para 10% em 2021/22.

O aumento da mistura deve substituir 2 milhões de t de petróleo anualmente no país, ajudando a economizar US $ 1 bilhão em importação.

O preço do etanol foi revisado pela última vez em setembro do ano passado, quando o governo aprovou um aumento de 25% no preço do etanol produzido diretamente do suco de cana-de-açúcar para Rs 59,13. Agora, esse valor foi aumentado para Rs 59,48.

Para o diretor-geral da Associação Indiana de Moinhos de Açúcar (ISMA), Abinash Verma, a decisão do governo de aumentar o preço do etanol mais uma vez, com ênfase especial e um aumento maior do etanol produzido a partir do melaço B-pesado, confirma o compromisso do governo em incentivar desvio do excedente de cana para produção etanol.

“A segunda decisão muito importante de permitir um preço único para o etanol produzido a partir de suco de cana parcial ou 100% é outro grande e positivo passo nessa direção”, afirmou.

A indústria açucareira, está respondendo muito positivamente investindo enormemente em novas ou ampliadas capacidades de produção de etanol, o que ajudará a atingir as metas de 10% de mistura de etanol do governo até 2022.

O terceiro maior consumidor de petróleo do mundo depende das importações para atender 83% de suas necessidades, e substituir parte do combustível por biocombustíveis ajudará a reduzir a dependência das importações.

A Índia começou a misturar etanol na gasolina durante o primeiro regime da NDA em 2002, mas o programa diminuiu quase até parar de moer nos 10 anos de governo da UPA, liderada pelo Congresso.

Isso ocorre no momento em que um excedente de produção de açúcar diminui o preço da commodity. Consequentemente, as quotas dos agricultores de cana-de-açúcar aumentaram devido à menor capacidade da indústria açucareira de pagar os agricultores.