Preços futuros do açúcar registram forte queda nas bolsas internacionais

Nessa quarta-feira (11) os lotes de açúcar bruto, negociados em Nova York, na ICE, voltaram a registrar uma forte queda. Os contratos para maio/20 fecharam em 12.26 centavos de dólar por libra-peso, queda de 33 pontos. O vencimento para julho/20 caiu 28 pontos e foi comercializado em 12.25 centavos de dólar por libra-peso. Os demais contratos caíram entre 16 e 25 pontos.

A queda do petróleo no mercado internacional puxou os preços do açúcar. Isso “gera temores de que o Brasil vá elevar a produção do adoçante, reduzindo a de etanol”, informou em nota a Reuters.

A Reuters publicou ainda trechos do relatório da consultoria Agritel. “Em comparação com 2019/20, o Brasil pode aumentar sua produção de açúcar em de 4 milhões a 5 milhões de toneladas, o que poderia empurrar o mundo para uma situação praticamente equilibrada no próximo ano comercial”.

Em Londres o cenário da ICE Europe também foi de queda. Os contratos para maio/20 foram comercializados em US$ 359,20 a tonelada, recuo de 2,60 dólares. O lote para agosto/20 foi firmado em US$ 353,70 a tonelada, queda de 4,50 dólares. Os demais vencimentos recuaram entre 4,20 e 5,60 dólares.

Mercado doméstico

Nessa quarta-feira, em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 79,35, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP. Houve valorização de 0,54% quando comparado ao valor da véspera.

Mas. Desse modo. Mas. Desse modo.