Compartilhar

A Índia poderá ter a safra 2021/22 igual ou melhor do que a anterior, de acordo com analistas do Itaú BBA. A nova temporada que começará, no entanto, depende das monções que começam a partir de junho e da produção de etanol, que deve consumir 2,5 milhões de t de açúcar na safra.

A boa produtividade da cana-de-açúcar da safra 2020/21 da Índia foi possível graças aos excelentes volumes de chuvas das monções de 2020. Comparada com a safra anterior, a produção de açúcar está adiantada, e até o dia 15 de abril totalizou 29,12 milhões de t.

A estimativa do banco Itaú BBA indica a fabricação de 30 milhões de t até o encerramento da safra, representando 9,5% acima de 2019/20.

“Com o excedente de produção de açúcar no país, as usinas necessitaram novamente dos subsídios para que as exportações fossem viáveis”, explicam os analistas do banco.

A pandemia do Coronavírus aumentou os gastos públicos do governo e, enquanto incertezas pairavam no mercado, o anúncio do subsídio foi realizado após o início da safra, em meados de dezembro, no valor de INR 5.833/t (INR 10.448/t em 2019/20) para 6 milhões de toneladas de açúcar.

Adicionalmente, a exportação de açúcar também enfrentou problemas logísticos nos portos, como a falta de contêineres disponíveis.

Produção de Etanol

Sobre o desenvolvimento da produção de etanol, em 2020 o governo lançou novas oportunidades de financiamento para aumentar a capacidade de produção do biocombustível.

Além disso, já no início de 2021 governos estaduais também lançaram ações para promover e estimular investidores para conseguir alcançar a meta de 20% de mistura de etanol na gasolina em 2025.

“Até agora na safra 2020/21, 1,2 milhão de toneladas de açúcar foram desviados para a produção de etanol”, afirmam os analistas do Itaú BBA.

Para 2021/22 a expectativa é de que o país continue com uma ampla produção de açúcar, sendo igual ou até maior do que a 2020/21. Porém, muitos fatores podem influenciar as estimativas.

Leia Também: Açúcar: contratos futuros seguem em alta nas bolsas internacionais

O primeiro deles, segundo o Itaú BBA, é o comportamento das monções em 2021, que têm início em junho. Com o fim do fenômeno LaNiña a expectativa é de chuvas dentro da normalidade.

“Do ponto de vista dos produtores, as condições climáticas em 2021 até agora foram favoráveis ao plantio da cana do próximo ciclo, além do retorno sobre o investimento se mostrando superior comparado com outras culturas concorrentes”, afirmam.

Sobre o etanol, para conseguir alcançar a meta de 2025 com 20% de mistura na gasolina, estimativas indicam que serão necessários 12 bilhões de litros do biocombustível.

Atualmente, a capacidade de produção de etanol está em 6,8 bilhões de litros por ano, sendo 4,3 bilhões de litros correspondente à etanol proveniente da cana.

Segundo estimativa da StoneX, a produção de etanol deve absorver 2,5 milhões de toneladas de açúcar equivalente já na safra 2021/22. “Considerando este cenário, projetamos a safra 2021/22 (out-set) na Índia, em 31 milhões de toneladas”, afirmam os analistas do Itaú BBA.

Natália Cherubin, com informações do Itaú BBA

Cadastre-se em nossa newsletter