Preços do açúcar reagem a alta do petróleo; veja os números

Os preços do petróleo fecharam em alta (WTI 19,10% e Brent 5,38%) nessa quarta-feira (22) e, por conseguinte, os lotes de açúcar também valorizaram, em sua maioria nas bolsas internacionais.

Em Nova York, os contratos do açúcar bruto com vencimento em maio/20 subiram 8 pontos e foram firmados em 9.83 centavos de dólar por libra-peso.

Os lotes para julho/20 permaneceram no valor da véspera, em 10.01 centavos de dólar por libra-peso. Os outros contratos recuaram entre 4 e 15 pontos.

Na bolsa de Londres, o vencimento para agosto/20 finalizou o dia em US$ 324,60 a tonelada, alta de 2,60 dólares.

O lote para outubro/20 subiu 2,80 dólares e firmou em US$ 317,40 a tonelada.

Ou outros vencimentos valorizaram entre 20 cents e 1,70 dólar, com exceção dos lotes agosto/21 e outubro/21 que recuaram 10 cents e 1,40 dólar, respectivamente.

A Tailândia, segundo maior exportador de açúcar do mundo, anunciou ontem que terá a menor safra dos últimos 10 anos.

De acordo com a Reuters, a Tailândia “moeu 74,89 milhões de toneladas de cana na safra encerrada neste mês, produzindo apenas 8,27 milhões de toneladas de açúcar”.

A agência trouxe ainda que “o volume de cana foi o menor desde as 68,4 milhões de toneladas na temporada 2009/2010”.

No Brasil 

Não houve valorização no indicador do açúcar cristal nessa quarta-feira e a saca de 50 kg de açúcar cristal fechou em R$ 77,19, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP, com queda de 0,14% quando comparado ao valor da véspera.