Compartilhar

A Raízen deve apresentar um Ebitda de R$ 3,2 bilhões no terceiro trimestre, diz o Credit Suisse, sustentado pela alta nos preços do açúcar e nas receitas dos negócios de energia renovável. O lucro deve ficar em R$ 1,3 bilhão, aponta o banco suíço.

Os analistas Regis Cardoso e Marcelo Gumiero escrevem que o segmento de açúcar deve ter fortes volumes, com os preços já estabelecidos em R$ 70 a libra, o que vai resultar em uma alta de 88% no Ebitda (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

No segmento de postos de combustíveis (RAIZ4) a previsão de Ebitda do Credit é de R$ 636 milhões, uma queda de 4% na comparação anual, mas aumentando 14% sobre o segundo trimestre, com volumes melhores.

“Nossa previsão implica em margem Ebitda de R$ 88 por metro cúbico, melhor que os R$ 84 no primeiro trimestre, mas ainda abaixo das nossas expectativas de R$ 105 a R$ 115”, destaca o banco suíço. “Acreditamos que ainda há espaço para alta nas margens.”

O Credit Suisse tem recomendação de compra para Raízen, com preço-alvo em R$ 10, potencial de alta de 48,1% sobre o fechamento da última sexta-feira (5).

Cadastre-se em nossa newsletter